Zico rebate Dunga e critica uso da Seleção para negócios: “está muito fácil ser convocado”

  • Por Jovem Pan
  • 29/06/2015 15h40

Zico comandará o veterano Robert PirèsZico fala sobre ida para Índia e objetivo de formar jogadores no país

O ex-meia Zico fez história pela Seleção Brasileira mesmo sem ganhar uma Copa do Mundo. Parte da geração dos “bons com azar”, a que o técnico Dunga se referiu em entrevista coletiva na última sexta-feira, o ídolo do Flamengo rebateu as declarações do capitão do tetra e questionou a legitimidade de Gilmar Rinaldi, ex-goleiro e empresário de jogadores, como coordenador de seleções.

“Não faço comparação, justamente porque cada época é uma época. Perdi Copas, mas com jogadores que mereciam estar na Seleção Brasileira. Para estar numa seleção, é preciso ter títulos, números significativos, prêmios individuais, nem que seja de melhor jogador do bairro. Hoje é muito fácil ir para a seleção. Qualquer um vai. O cara faz três bons jogos, se torna conhecido, é vendido a peso de ouro. Temos que estar atentos a isso”, disse Zico ao blog Extracampo, do jornal Extra. “Seleção não é um balcão de negócios. Mas temos lá um empresário do futebol (Gilmar) comandando… Ou ele já não é mais empresário? Vamos ver se, quando sair da seleção, ele vai voltar a ser empresário”.

Na entrevista, Dunga usou o passado da Seleção Brasileira para justificar o futebol pragmático de seu time, lembrando o quanto a equipe campeã de 1994 foi criticada. Para o Galinho, esta não é uma estratégia válida. “Ficar falando de passado não dá. Tem que ver o que fazer para melhorar. Não adianta ficar atacando os outros. Se bem que não me sinto atacado porque sou vitorioso na minha carreira. Antes da Copa América, falavam que o Brasil ganhou não sei quantos amistosos. Amistoso não serve para nada. Tentaram recuperar a credibilidade em cima de números de amistosos, quando nos últimos seis jogos oficiais a seleção perdeu três, venceu dois e empatou um. Isso é que vale”, afirmou.

A Seleção Brasileira comandada por Dunga acabou eliminada pelo Paraguai da Copa América 2015 no último sábado (27). Com o empate sem gols no tempo normal, a disputa foi para os pênaltis, onde os paraguaios levaram a melhor por 4 a 3.