66% das pessoas com câncer continuam fumando mesmo após o diagnóstico

  • Por Jovem Pan
  • 28/08/2014 09h06

Duas em cada três pessoas com câncer continuam fumando mesmo após serem diagnosticadas com a doença. O alerta sobre a dependência está no estudo foi feito pelo Instituto do Câncer de São Paulo, o Icesp – maior centro de oncologia da América Latina.

Segundo o levantamento, 65% dos pacientes atendidos no hospital nos últimos anos não largam o cigarro e 25% do total têm histórico de tabagismo. O coordenador da pesquisa, pneumologista Frederico Fernandes, diz que o vício é tão forte que nem o diagnóstico de câncer faz o paciente parar.

*Ouça os detalhes no áudio

O estudo mostrou também que 70% dos pacientes homens e 40% das mulheres com cânceres de bexiga são ou foram fumantes. À repórter Renata Gaspari, o diretor do Icesp, o oncologista Paulo Hoff, falou sobre os tipos de tumores provocados pelo cigarro.

O cigarro dificulta a cicatrização de cirurgias e eleva o risco de complicações nos pacientes com câncer. Além disso, os medicamentos quimioterápicos podem surtir efeito menor no organismo de quem fuma.