A Rússia é contrária à imposição de sanções à Venezuela

  • Por Agencia EFE
  • 29/05/2014 06h55

Moscou, 29 mai (EFE).- O ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, disse nesta quinta-feira que seu país se opõe a qualquer intromissão nos assuntos internos da Venezuela e a medidas como a imposição de sanções.

“Partimos do princípio de que todas as questões devem ser decididas sobre a base constitucional sem nenhuma interferência exterior, como sanções ou a ameaça de imposição destas “, disse Lavrov.

O chanceler russo deu entrevista coletiva em Moscou com a presença de seu colega venezuelano, Elías Jaua, com quem se reuniu hoje.

“Expressamos nossa solidariedade ao governo de Nicolás Maduro em suas tentativas de superar as conhecidas dificuldades na Venezuela, por entabular um diálogo com a colaboração da Organização dos Estados Americanos (OEA) e do Vaticano para lançar um processo negociador entre o governo e a oposição construtiva”, disse Lavrov.

O ministro russo reagiu assim à decisão adotada ontem pela Câmara dos Representantes do Congresso dos EUA, que aprovou um projeto de lei para impor sanções a Caracas.

O texto legislativo pretende punir funcionários do executivo venezuelano que estariam vinculados com a violação de direitos humanos durante os protestos que acontecem no país desde fevereiro.

A proposta, liderada pela legisladora republicana cubano-americano Ileana Ros-Lehtinen, proibiria a entrada em território americano de uma série de pessoas e congelaria seus ativos nos Estados Unidos.

No entanto, a Administração do presidente americano, Barack Obama, se mostrou reticente a se envolver na solução da crise venezuelana, principalmente desde que a Unasul (União de Nações Sul-Americanas) se ofereceu para mediar o diálogo entre governo e oposição. EFE