Acordo para criar províncias no Nepal impulsiona a esperada Constituição

  • Por Agencia EFE
  • 09/08/2015 04h37

Katmandu, 9 ago (EFE).- Os principais líderes políticos do Nepal pactuaram a criação de seis províncias, em um novo passo para aprovar no dia 16 de agosto a Constituição do país, pendente desde a abolição da Monarquia em 2008 no país asiático, informaram neste domingo à Agência Efe fontes dos partidos políticos.

“É um momento histórico e a partir de agora não haverá mais perda de tempo para continuar a minuta do texto constitucional que se espera aprovar em 16 de agosto”, disse um dos responsáveis do Partido Comunista Unificado (UCPN, maoísta), Baburam Bhattarai.

O líder do Fórum Madheshi Janadhikar-Loktantrik (MJF-L), Bijay Kumar Gachhadar, da minoria madheshi, retirou seus reservas e propiciou o acordo junto com as demais legendas políticas, afirmou uma fonte do Comitê de Diálogo Político e Consenso da Assembleia Constituinte do Nepal.

Os líderes do Partido do Congresso Nepalês, o primeiro-ministro Sushil Koirala, o Partido Comunista marxista-leninista (CPN-UML), Sharma Oli; e o opositor UCPN, Pushpa Kamal Dahal, tinham chegado previamente ontem ao consenso para criar seis províncias, ao qual se uniu o MJF-L na última hora.

A minuta pactuada em junho previa oito demarcações ou estados federados, mas existiam grandes diferenças sobre a inclusão em uma ou outra de vários dos 75 distritos em que se divide o país asiático, que finalmente foram resolvidos com o acordo no qual ficaram marcados os limites das seis províncias.

No entanto, os nomes destas novas demarcações deverão ser decididos em seus futuros conselhos provinciais.

O Comitê deverá incluir o acordo na minuta da Constituição e apresentá-lo perante a Assembleia Constituinte em reunião prevista para hoje. EFE