Adolescente é a 19ª vítima de chacina na Grande São Paulo

  • Por Agência Brasil
  • 27/08/2015 15h41
OSASCO, SP - 14.08.2015: VIOLÊNCIA-SP - Bar na rua Antônio Benedito Ferreira, no bairro Munhoz Junior, em Osasco, onde por volta das 20h30 uma chacina deixou dez mortos. A noite mais violenta do ano na Grande São Paulo deixou ao menos 20 pessoas mortas e sete feridos em Osasco e Barueri, em um intervalo de aproximadamente duas horas e meia, na noite desta quinta-feira (13). Na maioria dos casos as ações foram semelhantes, homens encapuzados estacionaram um carro, desembarcaram e dispararam vários tiros contra as vítimas. Em alguns locais dos crimes, testemunhas disseram que os assassinos perguntavam por antecedentes criminais, o que definia vida ou morte das pessoas. (Foto: Avener Prado/Folhapress)Chacina

A adolescente Letícia Vieira Hillebrand da Silva, de 15 anos, é a 19ª vítima da chacina ocorrida no dia 13 de agosto, nas cidades de Barueri e Osasco, na Grande São Paulo. Segundo a Secretaria de Saúde,  Letícia morreu à meia-noite de hoje (27) no Hospital Regional de Osasco, onde estava internada em estado grave. Ela deu entrada no hospital com um ferimento abdominal.

Letícia era uma das seis pessoas feridas na chacina. Já Guilherme Moreira, que também foi ferido na chacina, recebeu alta no sábado (22). Ele também estava internado no Hospital Regional de Osasco. Os demais continuam internados em hospitais da região.

Ontem (26), a Justiça Militar do Estado de São Paulo decretou a prisão preventiva do soldado Fabricio Emmanuel Eleutério, por ter sido reconhecido pessoalmente por uma vítima sobrevivente da chacina de Osasco.

O soldado, que foi reconhecido como sendo um dos autores das tentativas de homicídio ocorridas na Rua Suzano, estava sob prisão disciplinar na sede da Corregedoria da Polícia Militar desde a última sexta-feira (21) e foi transferido para o Presídio Militar Romão Gomes.

Ele negou ter participado do crime, mas a polícia afirmou que seu álibi não foi comprovado até o momento. A Corregedoria da PM continua investigando os assassinatos. Uma força-tarefa formada por 50 policiais também está investigando o caso.