Agências bancárias são depredadas após atos do MPL em São Paulo

  • Por Jovem Pan
  • 20/01/2016 12h50
Agências bancárias são depredadas após atos do MPL em SP

Duas agências bancárias foram depredadas em São Paulo na dispersão de protesto contra aumento da tarifa de transporte público em São Paulo, na noite desta terça (19).

Os vidros foram quebrados na Rua Barão de Itapetininga, ao lado do viaduto do Chá e da Prefeitura de São Paulo, o ponto final de um dos quatro protesto que a capital paulista abrigou. Os outros atos foram pacíficos.

A confusão se deu quando os manifestantes do centro tentaram realizar o “catracaço”, ato coletivo de pular as catracas do metrô para não pagar os R$ 3,80.

Houve tumulto em frente à estação República do metrô. Os portões de entrada foram fechados para impedir o “catracaço” e a Polícia Militar usou bombas de efeito moral para dispersar o grupo, bloqueando a Avenida Ipiranga. Manifestantes chegaram a colocar fogo em caçambas de lixo. Teve também confusão da Rua Sete de Setembro.

No ponto inicial da manifestação, no encontro das avenidas Rebouças e Faria Limaa, 6 quilômetros dali, duas pessoas foram presas com objetos perigosos: um martelo e um estilingue.

Pacíficos

Além do ato que terminou na Prefeitura, outro grupo do Movimento Passe Livre caminhou até o Palácio do Governo do estado, no Morumbi.

Outras duas manifestações foram registradas em São Paulo na terça, pelo Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e pela Frente do Povo sem Medo.

Informações de Carolina Ercolin