Agências de inteligência dizem que Rússia interferiu nas eleições americanas

  • Por Estadão Conteúdo
  • 05/01/2017 17h00
CDA048. LAS VEGAS (EE.UU.), 19/10/2016.- El candidato a la Presidencia de EEUU por el partido Republicano Donald Trump durante el debate con su rival demócrata Hillary Clinton hoy, miércoles 19 de octubre de 2016, en la Universidad de Nevada en Las Vegas (EE.UU.). EFE/JIM LO SCALZO EFE/Jim Lo Scalzo Donald Trump EFE

O diretor de Inteligência Nacional dos Estados Unidos, James Clapper, expressou profunda confiança sobre as investigações feitas pelas agências de inteligência americanas sobre a intervenção da Rússia durante as eleições presidenciais dos EUA.

Hoje, diretores de agências de inteligência foram convocados para prestarem depoimento no Senado americano. Além de Clapper, o diretor da CIA, Michael Rogers, e o subsecretário de Defesa da Inteligência, Marcel Lettre, compareceram à audiência no Comitê de Serviços Armados do Senado.

“O hackeamento era apenas uma parte disso. Também envolveu propaganda clássica, desinformação e notícias falsas”, disse Clapper. Segundo ele, os dirigentes das agências ficaram ainda mais convencidos de suas conclusões desde as avaliações divulgadas em outubro, pouco antes das eleições.

Um relatório sobre uma investigação da intervenção russa está sendo preparado e os dirigentes disseram que planejam informar os resultados ao presidente dos EUA, Barack Obama, ainda hoje. Já o presidente eleito Donald Trump deve ser informado amanhã. Uma versão pública do relatório deve ser lançada na próxima semana.

Os dirigentes foram convocados para testemunhar sobre o suposto papel do governo da Rússia em uma interferência hacker, que divulgou e-mails de pessoas ligadas à campanha do Partido Democrata e à candidata Hillary Clinton.