Água do Sistema Cantareira termina em 21 de novembro se não chover, diz secretário

  • Por Jovem Pan
  • 25/09/2014 19h57

Represa Jaguari-Jacareí na quarta (24)Represa Jaguari-Jacareí na quarta (24)

Cinquenta e dois dias. Esse é o prazo estimado para o esgotamento da reserva de água atualmente disponível do Sistema Cantareira, que abastece quase metade da região metropolitana de São Paulo (8,1 milhões de pessoas, segundo a Sabesp), se a perda diária do recurso mais básico do ser humano continuar a mesma.

O nível do Sistema Cantareira está nesta quinta em 7,1% de sua capacidade, contando com o volume morto atualmente utilizado (há outra parcela ainda não usada), informa o site da Sabesp.

Já a reserva do Alto Tietê, que fornece água para outros 3,1 milhões de pessoas, na Zona Leste da capital e outros municípios, deve durar mais 88 dias se não chover, informou nesta quinta o secretário estadual de Recursos Hídricos, Mauro Arce. A média da queda de volume é a mesma tanto no Alto Tietê quanto no Cantareira.

“Se continuar sem chover, o atual volume do Cantareira nos garantirá mais 52 dias”, afirmou Arce em entrevista coletiva (ouça trecho acima). Em suas contas, erradas, a água disponível hoje duraria “até 21 de novembro com o volume que tem hoje lá”, o que contabilizaria na verdade 57 dias desde a data de hoje.

O secretário, no entanto, se mostrou tranquilo e otimista e garantiu que ainda há uma nova porção do volume morto do Cantareira ainda não utilizada. “Nós temos um segundo volume, que nós estamos preparando para usar e nós vamos adiar ao máximo e só usar se realmente houver necessidade”, afirmou. Esse segundo volume “levaria a coisa até o ano que vem tranquilamente”, garantiu.

Arce conta também com a chuva para livrar São Paulo de uma das maiores crises hídricas da história do Estado. “Vem a pergunta: e se secar mais ainda? A gente sabe que daqui para frente, começando a primavera… a gente sabe que… existem muitos meses nos 84 anos que a gente tem de história, mês de agosto que nunca choveu. Mas setembro, outubro, novembro, não existe nenhum mês em que não choveu, nos 84 anos. Alguma chuva sempre tem”, concluiu.