Alckmin diz que governo descobriu máfia da merenda e pede “punição exemplar”

  • Por Jovem Pan
  • 25/02/2016 13h04
SP - ALCKMIN/SP - GERAL - O governador Geraldo Alckmin (PSDB) durante cerimônia de sanção do projeto de lei que dispõe dos planos públicos de valorização e aproveitamento dos recursos fundiários, no Palácio dos Bandeirantes, no bairro do Morumbi, zona sul de São Paulo, nesta quinta- feira, 14. A nova lei atenderá quase sete mil famílias beneficiárias da política agrária do governo do Estado. 14/01/2016 - Foto: DOUGLAS PINGITURO/BRAZIL PHOTO PRESS/ESTADÃO CONTEÚDOGovernador Geraldo Alckmin em cerimônia nesta quinta-feira no Palácio dos Bandeirantes

O governador de São paulo afirmou que não vê problema numa possível abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito, na Assembleia Legislativa de São Paulo, para apurar a suspeita de desvio de verba da meranda escolar.

O nome do presidente da do parlamento paulista, Fernando Capez (PSDB), está entre os citados pelos suspeitos de envolvimento no esquema.

Para Geraldo Alckmin, como instituição independente, a Assembleia tem todo direito de apurar os fatos e os culpados devem ser punidos exemplarmente.

“A Assembleia é um órgão independente, pode fazê-lo, deve fazê-lo, não tem nenhum problema”. Alckmin usou o argumento de que “a questão da merenda foi descoberta pelo governo” porque a Polícia Civil de São Paulo conduziu as investigações.

O governador ainda alega que não houve problemas na licitação, mas de fraude na cooperativa. Alckmin também defendeu “punição exemplar” independentemente de partido.

O presidente da Assembleia, Fernando capez, se diz o maior interessado na questão e recomenda a abertura de uma CPI sobre a merenda escolar, todavia a bancada governista é contrária à formação da Comissão.

Com Daniel Lian