Alckmin e Haddad são hostilizados após missa do aniversário de São Paulo

  • Por Jovem Pan
  • 25/01/2016 15h13
SP - MISSA/SÉ/ANIVERSÁRIO DE SP - GERAL - Missa de aniversário da cidade de São Paulo, realizada na Catedral da Sé, no centro da cidade, com a presença do prefeito da capital Fernando Haddad e do governador do estado Geraldo Alckmin, além de vários secretários e representantes de outras religiões, nesta segunda-feira (25), em que a capital completa 462 anos. 25/01/2016 - Foto: DARIO OLIVEIRA/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDOFernando Haddad e Gerlado Alckmin durante missa de aniversário da cidade de São Paulo (Agência Estado)

O governador do Estado e prefeito da capital foram hostilizados depois de missa do aniversário de São Paulo por militantes do Passe Livre. Geraldo Alckmin e Fernando Haddad compareceram à celebração religiosa na Catedral da Sé que durou aproximadamente duas horas.

No fim do evento, o prefeito começava a conceder entrevista coletiva aos jornalistas presentes quando foi interrompido aos gritos. Após uma pessoa arremessar uma garrafa plástica vazia, o prefeito Fernando Haddad encerrou a conversa com a imprensa e foi em direção ao carro oficial.

“Estamos tendo um feriado prolongado bastante bonito, com shows em toda a cidade, muita cultura (…) Vamos deixar para outra hora?”, encerrou o prefeito após a garrafa ser arremessada.

Com Geraldo Alckmin não foi muito diferente, ele saiu pelos fundos da Catedral junto com a primeira-dama Lu Alckmin. O governador nem parou para dar entrevista, entrou no carro e, enquanto o motorista acelerava, os manifestantes foram para cima do veículo.

Os manifestantes chegaram a bloquear por aproximadamente 20 minutos a passagem de veículos pela praça João Mendes, atrás da catedral.

Um novo ato do Movimento Passe Livre está marcado para as 17h desta terça-feira (26) em frente a estação da Luz.

*Informações do repórter Tiago Muniz