Alckmin fala com Dilma para água do rio Paraíba compensar Cantareira

  • Por Jovem Pan
  • 19/03/2014 20h14

O governador de São Paulo Jorge Araújo/Folhapress Governador de São Paulo Geraldo Alckmin propõe soluções para a seca

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes no final da tarde desta quarta (19), detalha pedido que fez na terça à presidente Dilma para fazer obra que busca compensar a falta de água do Sistema Cantareira. A ideia é fazer a transposição das águas do rio Paraíba do Sul.  A reunião teve como presentes também a ministra do Meio Ambiente Izabella Teixeira e o presidente da Agência Nacional de Águas (ANA), que ainda não deu uma resposta.

“O rio (Paraíba) é estadual”, explica Alckmin, mas há o rio Jaguari, que é federal e uma afluência do Paraíba do Sul, e este gera energia. O governador diz que a transposição não vai atrapalhar a produção elétrica. “A geração vai ser maior, no caso de passar para o cantareira, porque tem muito mais hidrelétricas ao longo do Tietê”, gaarante.

“O inverso também é verdadeiro”, diz Alckmin, explicando que a obra vai ser de ajuda recíproca das duas fontes aquáticas. “Não vamos tirar nenhuma água do rio paraíba para transpor para outro rio. Nós vamos interligar dois interligar dois reservatórios com um sistema de bombeamento recíproco”, diz. Quando um dos reservatórios estiver com excesso, mandará água para o outro.

Sem saber determinar exatamente, Alckmin estima os custos da obra em R$ 500 milhões. A estimativa é que o projeto seja concluído em dois a três meses, mais quatro meses de conclusão das obras. Pela demora, a obra não vai resolver a crise atual pela qual o Estaddo passa devido à seca, avalia o âncora da Jovem Pan. Ouça mais detalhes no áudio acima.