Alemanha: Merkel classifica medida dos EUA contra refugiados de “injustificada”

  • Por Estadão Conteúdo
  • 29/01/2017 09h34
BRU108 BRUSELAS (BÉLGICA) 29/06/2016.- La canciller alemana, Angela Merkel, da una rueda de prensa tras finalizar la segunda jornada de la reunión del Consejo Europeo en Bruselas (Bélgica) hoy, 29 de junio de 2016. Merkel afirmó hoy que los veintisiete jefes de Estado y de Gobierno que formarán la UE una vez el Reino Unido abandone el club comunitario no consideran necesario cambiar los tratados, sino trabajar mejor con los instrumentos disponibles para conseguir mejor sus objetivos. EFE/Stephanie LecocqChanceler alemã Angela Merkel fala em Bruxelas

A chanceler alemã Angela Merkel disse neste domingo que a proibição de entrada aos EUA de alguns refugiados e cidadãos de alguns países de maioria muçulmana é injustificada.

“A chanceler lamenta a proibição de entrada pelo governo dos EUA contra refugiados e cidadãos de certos países”, disse o porta-voz de Merkel em comunicado. “Ela está convencida de que a batalha necessária e decisiva contra o terrorismo não justifica uma suspeita geral contra pessoas de certa origem ou uma certa religião”.

Merkel conversou com o presidente dos EUA, Donald Trump, por telefone, no sábado, sobre a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), o conflito na Ucrânia e outras questões. O porta-voz disse que Merkel também disse a Trump que a Convenção das Nações Unidas para os Refugiados, da qual os Estados Unidos são signatários, exige que a comunidade internacional capture refugiados de guerra por motivos humanitários.

“A chanceler explicou esta política ao presidente dos EUA na conversa de ontem”, disse o porta-voz de Merkel. “O governo alemão vai agora examinar que consequências a medida do governo dos EUA terá para os cidadãos alemães com dupla cidadania e irá representar os seus interesses, se necessário, ante nossos parceiros americanos.”