Alerta vermelho é mantido em proximidades do vulcão chileno Villarrica

  • Por Agencia EFE
  • 04/03/2015 13h50

Santiago/Pucón (Chile), 4 mar (EFE).- As autoridades do Chile resolveram manter o alerta vermelho em um raio de dez quilômetros ao redor do vulcão Villarrica, cuja erupção obrigou cerca de 4.000 pessoas a evacuarem de localidades próximas na madrugada de terça-feira.

A medida significa que os habitantes desse setor continuarão evacuados e a entrada no local está proibida. Nas demais localidades próximas ao vulcão, situado cerca de 775 quilômetros ao sul de Santiago, na região da Araucanía, vigora o alerta amarelo.

A decisão foi adotada em reunião do Comitê de Operações de Emergência (COE), que foi liderada pelo ministro do Interior, Rodrigo Peñailillo.

Também estiveram presentes no encontro o subsecretário do Interior, Mahmoud Aleuy, e os diretores nacionais do Serviço de Geologia e Mineração (Sernageomin), Rodrigo Álvarez, e do Escritório Nacional de Emergência (Onemi), Ricardo Toro.

As autoridades indicaram que o vulcão se mantém calmo nesta quarta-feira, tanto que foram programados novos voos sobre a cratera ao longo do dia.

Ao todo, 45 famílias dos setores Cerduo Alto e Cerduo Bajo continuam isoladas após duas pequenas pontes de madeira terem sido destruídas devido a uma inundação no rio Turbio. Nos municípios de Pucón e Villarrica, na Araucanía, há cerca de 500 pessoas evacuadas.

Em Coñaripe, na região de Los Rios, a maioria dos evacuados retornaram a suas casas e apenas 17 adultos e quatro crianças continuam abrigados na cidade, onde as aulas foram retomaram, ao contrário de Pucón, Villarrica e Curarrehue, onde continuam suspensas.

Até agora não há registros sobre problemas de saúde associados à erupção vulcânica e todos os caminhos da região estão abertos ao trânsito de veículos, segundo disseram as autoridades. EFE

ns/vnm