Apesar de epidemia de ebola, Brasil não vai restringir viagens ao exterior

  • Por Jovem Pan
  • 09/08/2014 09h12

Apesar de Organização Mundial da Saúde considerar epidemia de ebola emergência internacional, Brasil não vai restringir viagens ao exterior. O país pretende fazer alertas sobre a doença em aeroportos, enquanto que as nações afetadas terão exame para detectar vírus.

Desde o começo do ano, o ebola já deixou 961 mortos e mais de 1.700 possíveis casos. O Ministro da Saúde, Artur Chioro, volta afastar o perigo ao Brasil, mas ressaltou que o país está em alerta e vai apoiar a OMS.

*Ouça os detalhes no áudio

Segundo Artur Chioro, o Brasil vai enviar 15 toneladas de medicamentos para a África e doará um milhão de reais à OMS. O secretário de Vigilância do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa, considerou que pela forma de transmissão é improvável que o ebola se espalhe.

Barbosa explicou ainda que hospitais como Emílio Ribas, em São Paulo, estão de prontidão para casos suspeitos. O infectologista Jean Gorinchteyn disse que são pequenas as chances de disseminação pelo ar, no caso de um infectado estar em um avião.

A Organização Mundial de Saúde não decretou quarentena nos países afetados: Guiné, Libéria, Serra Leoa e, em menor escala, a Nigéria. O objetivo é não agravar a situação econômica das nações, mas a OMS pediu fortes medidas de controle nos pontos de saída.