Após acordo que reduz direitos, GM garante investimento no ABC

  • Por Estadão Conteúdo
  • 25/02/2017 14h24
Complexo Industrial da GM em São Caetano do Sul/SPGeneral Motors

A General Motors e o Sindicato dos Metalúrgicos de São Caetano do Sul fecharam acordo que vai garantir novos investimentos na fábrica do ABC paulista em troca de corte de direitos trabalhistas. Os novos aportes, que vão para a remodelação da fábrica e produção de uma nova linha de veículos, pode superar US$ 800 milhões, segundo o vice-presidente do sindicato, Francisco Nunes. A GM não comentou o assunto na sexta-feira (24).

Ficou acertado que em 2018 não haverá reajuste pelo índice da inflação, mas será pago um abono de R$ 4 mil, que não será incorporado aos salários. Para este ano já estava acertado 70% de repasse da inflação e abono de R$ 3 mil.

Novos contratados terão direito a estabilidade de emprego apenas por um ano caso adquiram doenças profissionais. Inicialmente, a empresa queria acabar com a estabilidade de todos os trabalhadores.

O porcentual de adicional noturno, atualmente de 30%, será reduzido gradualmente até 2020, quando passará a ser de 20%. Para novos funcionários, já valerá o índice menor.

Outro acerto foi em relação ao pagamento da Participação nos Lucros e Resultados (PLR), estabelecido em R$ 12 mil para este ano caso seja atingida 100% da meta de produção, ainda a ser definida. “A proposta foi aprovada quase por unanimidade”, informou Nunes.

O sindicalista disse que a montadora não deu detalhes sobre o novo investimento, mas informou que a fábrica passará por ampla reforma. “Será uma nova fábrica dentro da atual para receber a nova linha de produtos.” Hoje, a planta produz os modelos Cobalt, Spin, Montana e uma versão do Ônix, automóvel mais vendido no mercado.

A fábrica de São Caetano emprega cerca de 9 mil trabalhadores, mas o acordo vale apenas para os cerca de 6 mil operários da produção. Na próxima semana, esse grupo entra em férias coletivas e só retorna dia 27 de março. Na filial de São José dos Campos, 2,2 mil trabalhadores estão em casa desde 0 dia 13 e retornam na quinta-feira. A Volkswagen suspendeu a produção no ABC na quarta-feira e retoma em 5 de março. A Ford do ABC ficará parada de 6 a 26 de março. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.