Após Conselhão, Coutinho defende novas linhas de crédito do BNDES sem subsídios

  • Por Agência Estado
  • 28/01/2016 20h50
A CPI do BNDES realiza audiência pública para ouvir o presidente da instituição, Luciano Coutinho (Antonio Cruz/Agência Brasil)Luciano Coutinho

O presidente do BNDES, Luciano Coutinho, defendeu nesta quinta-feira, 28, a adoção das novas linhas de crédito foram anunciadas pelo governo da presidente Dilma Rousseff durante a reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES) Ele fez questão de dizer que as modalidades de crédito não terão subsídios.

Segundo Coutinho, a oferta de crédito no País caiu mais do que a demanda. Ele disse que o banco vai abrir uma linha de crédito de R$ 4 bilhões para a exportação e outra de R$ 5 bilhões para micro e pequenas empresas, além do já existente cartão do BNDES. “Vamos anunciar um conjunto de oportunidades e aperfeiçoamentos do banco sem subsídios”, destacou.

O presidente do banco justificou a adoção dessas linhas ao dizer que, a economia, em determinados setores, demanda mais crédito para poder manter o emprego e exportar mais.

Reservas

Coutinho se posicionou contra o uso de reservas cambiais para tentar resolver as dificuldades fiscais nesse momento. “É um tema macroeconômico, muito mais do ministro Nelson (Barbosa, da Fazenda) e do (Alexandre) Tombini (do Banco Central). Acredito que, no curto prazo, com a grande volatilidade cambial, temos que preservar as nossas reservas”, disse.