Após ocupação policial, Forças Armadas tomam controle do Complexo da Maré

  • Por Agencia EFE
  • 05/04/2014 11h45

Rio de Janeiro, 5 abr (EFE).- Cerca de 2,7 mil militares das Forças Armadas tomaram neste sábado o controle do complexo de favelas da Maré, importante rota do narcotráfico no Rio de Janeiro, que foi ocupado na semana passada pela polícia.

A operação, anunciada previamente, começou às 5h, com a entrada de carros blindados e tanques nas principais favelas que compõem o complexo, onde vivem cerca de 120 mil pessoas.

Uma vez tomadas posições, os militares do exército e da marinha, que se responsabilizarão pela segurança da região até julho, começaram a patrulhar diferentes áreas do complexo na busca por drogas e armas.

Por enquanto, as autoridades não divulgaram números sobre detidos ou apreensão de drogas. A operação, batizada de “São Francisco”, teve a participação de 2.050 soldados da Brigada de Infantaria de Paraquedistas do Exército, 450 fuzileiros da Marinha e 200 agentes da Polícia Militar.

A ocupação dos militares na região, que aconteceu a 68 dias do início da Copa do Mundo, se prolongará inicialmente até o dia 31 de julho, embora, segundo o general do exército Ronaldo Lundgren, chefe do Centro de Operações, a presença das forças armadas na maré pode ser prolongada por mais tempo se as autoridades acreditarem ser oportuno.

Na semana passada, cerca de 1.200 policiais, com o apoio de carros blindados da marinha, ocuparam o complexo, mas hoje começaram a ser substituídos pelos militares.

A ocupação foi preparada nas últimas semanas com a presença constante de policiais nos acessos da Maré e com operações em outras favelas do Rio.

Nas últimas semanas, 16 pessoas morreram, pelo menos oito ficaram feridas e cerca de 160 foram detidas nas operações, segundo o balanço da Secretaria de Estado de Segurança do Rio de Janeiro. EFE

gdl-ass/dr