Após terremoto, alpinista que esteve no Nepal assegura que brasileiros que escalavam Everest “estão bem”

  • Por Jovem Pan
  • 25/04/2015 12h53
Rodrigo Raineri e seu filho em Katmandu

Um terremoto de 7,9 graus na escala Richter, segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS), causou grandes danos ao Nepal neste sábado (25). Segundo dados divulgados, mais de 1400 pessoas já morreram devido aos abalos que tomaram a capital Katmandu e regiões próximas,

Em entrevista a Patrick Santos, o alpinista Rodrigo Raineri, primeiro brasileiro a escalar três vezes o Monte Everest, em 2008, 2011 e 2013 relatou que o grupo que escalava por sua empresa passa bem.

“Existem algumas pessoas que estão lá, mas aproveito para comunicar amigos e familiares que já está tudo bem. (…) O pessoal que está na montanha, o Carlos Santalena e Eduardo Sartor também estão bem”, disse.

O terremoto, que causou uma série de deslizamentos perto do Everest, no acampamento base, deixou diversos feridos e mortos, apesar de ser considerado um local seguro. “Com um terremoto fica vulnerável”, lamentou o alpinista.

Segundo Raineri, em sua agência, que leva pessoas a escalarem o Monte Everest, havia sete clientes e dois guias. “Todos estão bem. Estamos assessorando por aplicativos de smartphone, porque não tem contato de telefone. Mais dois brasileiros que estão no campo II também estão bem”, explicou.

Os alpinistas Carlos Santalena e Eduardo Sartor, que iriam hoje rumo ao acampamento base (a 5,3 mil metros de altitude), tiveram de adiar sua escalada devido ao terremoto e permaneceram no acampamento em que estavam, situado a 5 mil metros de altitude.

Raineri afirmou que mantem contato através de mídias sociais e destacou a dificuldade relacionada a recursos como telefonia para entrar em contato com os alpinistas de outra forma.

“Fico chateado de isso estar acontecendo no Nepal, pois eles não têm muitos recursos para se recuperar de uma tragédia dessa”, finalizou o alpinista.