Aspirina pode ajudar na luta contra alguns tipos de câncer

  • Por Jovem Pan
  • 24/01/2015 08h17

Muito utilizada para a prevenção e tratamento de doenças cardiovasculares, a Aspirina pode prevenir ou amenizar o câncer, revelam pesquisas médicas. Com mais de 55 mil referências de estudos, o medicamento desta vez foi analisado nos tumores de estômago, esôfago e colorretal.

Para Solange Sanches, oncologista do A.C Camargo Cancer Center, é importante ressaltar que esse comprimido está sempre ligado a doenças de inflamação crônica. A médica explica que é necessário atentar aos efeitos colaterais que a Aspirina pode trazer a alguns pacientes, como o sangramento gastrointestinal.

“Falando expecificamente sobre o câncer colorretal, talvez seja interessante que pessoas que façam parte de famílias com incidência desse tipo de câncer ou que tenham pólipos corram o risco. É uma arma terapeutica que vai atuar naquilo que a gente mais quer, que é diminuir a incidência do câncer ou que desenvolva uma metástase”, explica.

Segundo o cardiologista da Unidade Intensiva do Albert Einstein, Fernando Morita, os benefícios são muitos para o coração e contra o câncer. “As doenças cardiovasculares são principais causas de morte em nosso meio e países desenvolvidos, e a segunda causa é o câncer. Se a gente conseguir diminuir a incidência de mortes por causas cardiovasculares e por câncer, com certeza é algo muito benéfico, principalmente com uma droga barata como a Aspirina. Estudos em andamento sobre o uso da Aspirina contra o câncer é algo promissor”, acredita ele.

Com propriedades analgésicas, a “Aspirina” foi criada há 117 anos, e é considerado um medicamento barato. Além do câncer, o medicamento à base de ácido acetilsalicílico pode prevenir outras doenças distintas como infarto, esquizofrenia e mal de Alzheimer.