Assembleia do BID no Brasil terá como foco desenvolvimento e setor privado

  • Por Agência EFE
  • 15/03/2014 20h06

O papel do setor privado no desenvolvimento será o foco da Reunião Anual do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) que será realizada entre 27 e 30 deste mês na Costa do Sauípe, Bahia, e que também contará com uma grande participação de mulheres e jovens empreendedores.

Durante a reunião, na qual os governadores do BID seguirão discutindo sobre como melhorar o trabalho com o setor privado para aumentar sua eficiência e eficácia, será divulgada a avaliação macroeconômica da América Latina e do Caribe, uma das peças básicas de análise da evolução da região.

A 55ª reunião começará com uma mesa-redonda com a participação do presidente do BID, Luis Alberto Moreno, dez jovens empreendedores da região, e os gerentes do setor privado da instituição.

Fabián Koss, coordenador do Programa de Juventude do BID, disse à Agência Efe que a mesa-redonda, denominada BID Inovadores, é um sinal do interesse da instituição em se conectar com os jovens empreendedores da região e multiplicar suas conexões.

“Achamos que a participação dos jovens inovadores da região é fundamental para resolver problemas tradicionais do desenvolvimento com novas soluções. A América Latina e o Caribe necessitam da energia, visão e criatividade de seus cidadãos jovens para transformar seu entorno”, explicou Koss.

Os dez jovens (homens e mulheres) empreendedores selecionados neste ano procedem de variados setores, desde a educação e a tecnologia até a participação cidadã e a mudança climática, e de várias regiões do continente: Brasil, Haiti, México, Trinidad e Tobago, Guatemala, Peru, Panamá, Argentina e Jamaica.

Koss disse que o encontro terá como moderador Alejandro Peixe Varela, um jovem jornalista de Chihuahua (México) que foi subdiretor editorial do jornal “El Universal”, subdiretor fundador de “Día Siete” e autor, entre outras obras, do romance “Corazón de Kaláshnikov” (sem tradução para o Português).

“Buscamos jovens líderes que tenham ideias e projetos originais. Milhares de jovens estão construindo democracias estáveis, economias sustentáveis e sociedades baseadas na equidade”, acrescentou.

“São inovadores impactando positivamente suas comunidades. Nosso objetivo é conhecer suas experiências e, ao mesmo tempo, apoiar seus esforços, fortalecer suas redes e reconhecer o grande papel que a juventude tem para o desenvolvimento”, explicou Koss.

No dia 28 de março, os ministros de finanças, presidentes de bancos centrais e representantes do setor privado e a sociedade civil do continente assistirão uma série de seminários sobre a oportunidade do setor privado para contribuir com o desenvolvimento.

O seminário de abertura será uma reunião sobre a inovação e empresariado na saúde e educação na qual se analisarão exemplos já existentes de associações público-privadas na América Latina e no Caribe nesses campos.

Um segundo seminário, intitulado “O futuro dos bancos se escreve com M de mulher”, se centrará na importância da “economia feminina”, dado que se estima que as mulheres tomem 64% das decisões referentes à despesa na sociedade, o que representa US$ 20 bilhões anuais.

Mas, apesar deste papel, o setor financeiro está reagindo com lentidão para proporcionar serviços a um grupo que as análises indicam que seguirá crescendo nos próximos anos.

Durante o segundo dia também será abordado o papel do setor privado para contribuir ao desenvolvimento com investimentos em energia “inteligente” e infraestruturas urbanas.

Neste sentido, durante a reunião, será divulgada uma pesquisa realizada em cinco grandes cidades latino-americanas com entrevistas com mais de cinco mil pessoas sobre quais infraestruturas os cidadãos quereriam ver.

Fontes do BID afirmaram à Agência Efe que a pesquisa oferece resultados “surpreendentes e inesperados”.