Ataque a facadas deixa 20 mortos na República Democrática do Congo

  • Por Agencia EFE
  • 04/02/2015 17h30

Nairóbi, 4 fev (EFE).- Um suposto ataque a facadas de rebeldes ugandenses da Frente Democrática Aliada (ADF, sigla em inglês) causou 20 mortes na conflituosa províncua de Kivu do Norte da República Democrática do Congo (RDC).

Os ataques ocorreram na madrugada passada na cidade de Mayangose, situada a cerca de 15 quilômetros da cidade de Beni, onde nos últimos meses foram registradas frequentes ações de grupos rebeldes ugandenses, segundo a emissora congolesa “Radio Okapi”.

Supostos membros da ADF mataram 21 moradores de Mayangose, sendo 14 homens e sete mulheres, segundo fontes da polícia. O porta-voz da organização Sociedade Civil de Kivu do Norte, Omar Kavota, calculou 19 vítimas.

A organização responsabilizou os assassinatos aos rebeldes ugandenses da ADF, acusados de terem matado 200 civis em Beni entre outubro e novembro.

Os novos ataques ocorreram duas semanas depois da suspensão do toque de recolher imposto na província para enfrentar a situação de insegurança.

Em Kivu do Norte, os rebeldes ugandenses organizam ataques para derrubar o governo de Uganda, presidido por Yoweri Museveni, que está no poder desde 1986.

O grupo ADF-NALU é uma das organizações armadas que segue atuando no leste da RDC após a derrota em novembro de 2013, para o Exército congolês, do Movimento 23 de Março (M23), que chegou a controlar parte da província de Kivu do Norte.

A RDC está imersa em um frágil processo de paz após a segunda guerra civil do Congo (1998-2003), que envolveu diversos países africanos, e tem mais de 21 mil soldados da ONU em seu território. EFE