Ataque do Estado Islâmico em mercado no centro de Bagdá mata ao menos 45 pessoas

  • Por Estadão Conteúdo
  • 11/05/2016 09h28
EFE/Nawras Aamer Tropas sunitas se preparam para enfrentar o Estado Islâmico em Ramadi

Um carro-bomba carregado de explosivos destruiu uma área comercial em um bairro predominantemente xiita de Bagdá, capital do Iraque, nesta quarta-feira (11). Até agora, matando, ao menos, 45 pessoas e feriu outras 65 em um ataque que foi rapidamente reivindicado pelo grupo terrorista Estado Islâmico.

Pouco depois da explosão, que foi uma das mais mortais que já atingiu a capital, o grupo extremista sunita , que vê muçulmanos xiitas como hereges, disse que estava por trás do ataque. Os extremistas afirmaram que o ataque foi realizado por um homem-bomba, mas as autoridades iraquianas negaram o fato.

O ataque atingiu um mercado ao ar livre que estava lotado. Ele está localizado na área oriental de Bagdá de Sadr City. Segundo as autoridades, muitas pessoas ficaram feridas gravemente e o número de mortes pode subir.

Karim Salih, um marceneiro de 45 anos, disse que a bomba estava em uma picape carregada com frutas e legumes que foi estacionada por um homem que desapareceu rapidamente entre a multidão.

O bombardeio mostrou que, enquanto o Estado Islâmico sofreu uma série de derrotas territoriais no ano passado, os militantes ainda são capazes de lançar ataques significativos em todo o país. Segundo autoridades, as diversas agressões realizadas na cidade têm como objetivo desviar a atenção de suas recentes perdas no campo de batalha.