Ataque reivindicado pelo Estado Islâmico mata 20 estrangeiros em Bangladesh

  • Por Estadão Conteúdo
  • 02/07/2016 08h43
AAA101. Dhaka (Bangladesh), 01/07/2016.- An injured police officer sits in a car after suffering wounds from a crude bomb blasted by suspected criminals at a Spanish resturant in Dhaka, Bangladesh, late 01 July 2016. Two police officials have been killed during the encounter while some gunmen reportedly took several people hostage, including some foreigners, inside a Spanish resturant. The law inforcement officials try to negotiate with the gunmen while the US-based SITE Intelligence Group quoted the Amaq News Agency as saying that fighters of the terrorist organisation 'Islamic State' (IS) carried out the attack. (Atentado, Terrorista) EFE/EPA/STRINGERPolicial ferido em carro após sofrer ferimentos de bombas em restaurante de Daca

Autoridades de Bangladesh informaram neste sábado que subiu para 20 o número de mortes confirmadas em ataque terrorista a um café na cidade de Daca, capital do país. Todas os que morreram são estrangeiros e, segundo o primeiro-ministro da Itália, Matteo Renzi, havia italianos entre as vítimas.

Assaltantes armados com pistolas e explosivos atacaram o Holey Artisan Café, localizado em um bairro afluente perto de várias embaixadas, na sexta-feira à noite, gritando “Allahu akbar”, disseram a polícia e testemunhas. As forças de segurança de Bangladesh, apoiadas por veículos blindados, conseguiram resgatar 13 pessoas. O general Ashfaq Naeem, diretor de operações militares do exército, disse que seis terroristas foram mortos.

Dois altos funcionários da polícia que tentaram negociar com os homens armados morreram quando os militantes detonaram um explosivo, segundo a polícia. Ainda divulgaram as nacionalidades dos outros mortos.

O Estado Islâmico reivindicou a responsabilidade pelo ataque, de acordo com o grupo de inteligência SITE, que monitora a atividade de extremistas islâmicos. Uma mulher, que não quis ser identificada, disse que seu filho, sua cunhada e seus dois filhos pequenos tinham saído do restaurante pouco antes de a polícia e os soldados entrarem. “Eles (terroristas) permitiram que todos os moradores locais deixassem o café antes de a polícia entrar”, contou. Fonte: Dow Jones Newswires.