Ataque talibã contra escritório eleitoral em Cabul deixa dez mortos

  • Por Agencia EFE
  • 25/03/2014 10h44

(Eleva o número de mortos e feridos)

Cabul, 25 mar (EFE).- Pelo menos três civis -entre eles um candidato de um partido regional-, dois policiais e cinco talibãs morreram nesta terça-feira em um ataque insurgente ao escritório da Comissão Eleitoral Independente em Cabul, informou à Agência Efe uma fonte policial.

No ataque ficaram feridos pelo menos três civis e três policiais afegãos, embora o número possa ser maior, depois de mais de três horas de enfrentamentos com forças de segurança locais e da Otan, indicou um porta-voz policial, Hashmat Stanikzai.

O ataque aconteceu dez dias antes das eleições de 5 de abril no Afeganistão, e depois que os talibãs anunciaram ações armadas contra sedes eleitorais e forças de segurança.

O porta-voz policial -que não apresentou detalhes sobre o candidato regional assassinado- manifestou que um grupo de desconhecidos entrou no escritório, situado na estrada de Darulaman, no oeste de Cabul, e começou a disparar indiscriminadamente.

Outro policial, identificado como Sharifulah, disse à Agência Efe desde a zona do ataque que os insurgentes estavam fortemente armados e foi escutada “uma tremenda explosão”.

O canal de televisão local “Tolo News” transmitiu imagens de forças da missão da Otan no Afeganistão (Isaf) participando do combate contra os insurgentes.

O ataque aconteceu em uma zona próxima à residência do candidato independente à presidência do Afeganistão Ashraf Ghani Ahamadzai, embora não se encontrava nela porque partipava de um comício eleitoral na província oriental afegã de Paktia.

Os talibãs afegãos anunciaram em 10 de março que sabotarão as eleições presidenciais previstas para 5 de abril com ataques aos colégios eleitorais, trabalhadores do pleito e as forças de segurança.

Em 20 de março, 13 pessoas morreram, entre elas duas crianças, quatro mulheres e vários estrangeiros, em um ataque contra o Hotel Serena de Cabul, um dos mais bem protegidos da capital afegã e frequentado por cidadãos de outros países.

Quatro civis mais ficaram feridos, enquanto as forças de segurança mataram os quatro insurgentes que perpetraram o atentado.

Este ano é o último com a presença de tropas da Otan no Afeganistão, de acordo com um calendário de retirada gradual que terminará em dezembro, quando as forças locais assumirão a segurança em todo o território. EFE