Ataques das forças iraquianas matam 12 membros da Al Qaeda

  • Por Agencia EFE
  • 09/01/2014 18h25

Bagdá, 9 jan (EFE).- Pelo menos 12 membros da organização Al Qaeda e outras cinco pessoas, entre elas três policiais, morreram nesta quarta-feira em vários ataques em diferentes províncias do Iraque, informou a Agência Efe uma fonte policial.

O ataque mais violento aconteceu em Yazirat al Jadliya, a 15 quilômetros da cidade de Ramadi, capital da província de Al-Anbar, onde morreram oito supostos membros da Al Qaeda em enfrentamentos contra as forças de segurança.

Os confrontos também destruiram três veículos pertencentes aos milicianos.

Outros três extremistas foram abatidos em uma área entre a cidade de Faluja, a 50 quilômetros ao oeste de Bagdá, e Abu Ghraib, a 25 quilômetros a oeste da capital iraquiana.

Segundo a fonte, um suicida detonou um carro-bomba em frente a um grupo das forças da ordem iraquianas em Al Sufiya, no norte de Ramadi, o que causou a morte de três membros das forças de segurança e feriu outros seis.

Nessa mesma região outro carro-bomba dirigido contra Zamel al Ganmi, dirigente dos Conselhos de Salvação (milícia sunita pró-governo), explodiu causando a morte de um civil e ferindo outros dois. Ele não estava no local no momento do ataque.

Um civil morreu e outros quatro ficaram feridos – três deles policiais – na explosão de um carro-bomba estacionado perto do edifício do governo de Tikrit, que fica a 170 quilômetros ao norte de Bagdá.

O porta-voz do comando de operações militares de Bagdá, Saad Maen, informou hoje que as forças de segurança mataram Abdel-Rahman al Saeq, que dava proteção ao chefe do Estado Islâmico no Iraque e Levante (vinculado a Al Qaeda), Abu Bakr al-Baghdadi, perto da cidade de Al Tarmiya, a 40 quilômetros ao norte de Bagdá. EFE