Ativista de direitos humanos da Mauritânia é indicada ao Prêmio Nobel da Paz

  • Por Agencia EFE
  • 08/08/2015 19h16

Nouakchott, 8 ago (EFE).- A presidente da Associação Mauritana de Mulheres Chefes de Famílias (AMFCF), Aminetou Mint El Moctar, informou neste sábado que foi indicada como candidata ao Prêmio Nobel da Paz deste ano.

“Destacadas personalidades da Europa, especialmente da França, Espanha e Itália, escolheram meu nome”, disse à Agência Efe a ativista, acrescentando que outros defensores dos direitos humanos na Mauritânia preparam uma campanha para apoiar sua candidatura.

A presidente da AFCF explicou que, por enquanto, não houve nenhuma declaração oficial por parte das autoridades.

Aminetou é muito conhecida dentro e fora da Mauritânia pela luta pelos direitos humanos, especialmente por sua batalha para erradicar a escravidão, o tráfego humano, o trabalho de menores como empregadas domésticas e os abusos sexuais.

Em 2010, ela recebeu um prêmio do Departamento de Estado dos EUA e foi recebida pelo presidente americano, Barack Obama, na Casa Branca. Além disso, em 2006, venceu um prêmio de direitos humanos concedido pela França, também sendo recebida pelo então presidente do país, Nicolas Sarkozy.

Acadêmicos da Universidade de Georgetown, em Washington, a colocaram entre as 500 personalidades mais influentes no mundo islâmico. EFE