Ativista Sininho foi presa em Porto Alegre neste sábado (12), diz jornal

  • Por Jovem Pan
  • 12/07/2014 13h38
RIO DE JANEIRO, RJ, BRASIL, 24-10-2013: A ativista Elisa Quadros, conhecida como Sininho, durante participação na assembleia dos professores, no Rio de Janeiro (RJ). Em uma tumultuada assembleia, os professores das escolas estaduais do Rio decidiram encerrar a greve iniciada no dia 8 de agosto de 2013. Na votação realizada em um clube da Tijuca, na zona norte da cidade, houve divisão entre os educadores escalados para discursar para os profissionais da categoria: dez deles queriam a continuidade, enquanto outros dez estiveram a favor do fim da greve. (Foto: Armando Paiva/Fotoarena/Folhapress) ***PARCEIRO FOLHAPRESS - FOTOS COM HONORÁRIOS E CRÉDITOS OBRIGATÓRIOS*** Armando Paiva/Fotoarena/Folhapress Sininho é presa no Rio de Janeiro

A ativista Elisa Quadros Pinto Sanzi, a Sininho, foi presa na manhã deste sábado (12) em Porto Alegre (RS). As informaçoes são do jornal O Globo. Ela teria negociado a compra de fogos de artifíco para utilizar em protestos no Rio de Janeiro.

Sininho passou a ser investigada após a morte do cinegragista Santiago Ilídio Andrade, da TV Bandeirantes, em fevereiro deste ano. Ele foi atingido na cabeça por um rojão enquanto registrava o confronto entre manifestantes e policiais no Rio de Janeiro.

Na época, os jovens Fábrio Raposo e Caio Silva e Souza foram apontados como responsáveis por lançar o rojão. Ainda segundo O Globo, os acusados mantinham contato com Sininho, que na época chegou a ir na delegacia defender os acusados.

Além de Sininho, outros 15 ativistas da tática black bloc tiveram suas prisões temporárias expedidas.