Austrália destaca papel das economias tropicais no G20

  • Por Agencia EFE
  • 18/09/2014 20h56

Cairns (Austrália), 18 set (EFE).- O tesoureiro da Austrália, Joe Hockey, destacou nesta quinta-feira o papel das economias tropicais no G20, bloco de países desenvolvidos e emergentes que propõe expandir o PIB mundial para 2% acima das previsões nos próximos cinco anos.

“Quase metade dos países do G20 está localizada completamente ou parcialmente nos trópicos e, como sabemos, estas regiões tropicais incluem algumas das sociedades mais povoadas e de maior expansão”, disse Hockey em uma conferência na Universidade James Cook, em Cairns, no nordeste da Austrália, onde os ministros de Economia e os presidentes dos bancos centrais do bloco se reunirão no próximo fim de semana.

Entre as economias dos países tropicais estão as que se encontram industrializadas, as emergentes, em desenvolvimento e as de baixos rendimentos.

“Está claro que esta diversidade representa uma influência crescente na economia global”, assinalou o tesoureiro, que lembrou que um recente relatório mostra que desde os anos 80 “as economias tropicais, quando analisadas de forma conjunta, têm um maior crescimento anual que o resto do mundo”.

O estudo, que observa economias como as da Argentina, Austrália, Brasil, China, Índia, Indonésia, México, Arábia Saudita e Havaí(EUA), indica que esses países enfrentam desafios ambientais, de sustentabilidade, saúde, educação e, especialmente, de crescimento econômico.

“Estes desafios também representam oportunidades quando encarados em conjunto com os objetivos do G20”, enfatizou Hockey, ao insistir que a agenda para a reunião ministerial deste fim de semana buscará injetar cerca de US$ 2 trilhões na economia mundial e criar 600 milhões de empregos.

Os membros do G20 são a União Europeia, o G7 (Estados Unidos, Canadá, Japão, Alemanha, Reino Unido, Itália e França), Arábia Saudita, Argentina, Austrália, Brasil, China, Coreia do Sul, Índia, Indonésia, México, Rússia, África do Sul e Turquia. EFE

watt/cs-dk