Austrália pede a países europeus para se unir a bombardeios aéreos na Síria

  • Por Agencia EFE
  • 30/08/2015 23h18

Sydney (Austrália), 31 ago (EFE).- A ministra das Relações Exteriores da Austrália, Julie Bishop, pediu aos países europeus para se unirem aos bombardeios aéreos na Síria e Iraque, perante um conflito que está causando “uma crise de proporções globais”, publicou nesta segunda-feira (data local) a imprensa local.

Bishop disse que uma maior contribuição europeia contra o Estado Islâmico (EI) ajudaria a reduzir a pressão sobre vários países do Oriente Médio.

“Os países fronteiriços com Síria e Iraque como o Líbano, Jordânia e outros estão recebendo milhões de pessoas que fogem rumo a suas fronteiras e depois para a Europa”, disse Bishop em entrevista ao jornal “The Australian”.

“Por isso acredito que os europeus devem se envolver nos bombardeios aéreos da coalizão e nos esforços na Síria e no Iraque”, acrescentou a chanceler.

A Austrália, que realiza bombardeios aéreos no Iraque e trabalhos de apoio às forças iraquianas, avalia atualmente um pedido dos Estados Unidos para que aumente sua contribuição militar na luta contra o EI na Síria, incluindo a possibilidade de bombardeios.

A Austrália posicionou no Iraque cerca de 400 soldados, entre eles 200 de suas forças especiais, além de aviões Super Hornet, Wedgetail, KC-30A, como parte de sua contribuição à coalizão internacional que luta contra o EI. EFE