Autoridades detém 11 tunisianos por suposta envolvimento com jihadistas

  • Por Agencia EFE
  • 09/09/2015 10h19

Tunísia, 9 set (EFE).- Pelo menos 11 pessoas foram detidas nesta quarta-feira em Túnis por suposta filiação a uma rede jihadista de captação e envio de jovens e famílias à guerra na Síria, informou em comunicado o Ministério do Interior tunisiano.

Segundo a nota, soldados da brigada nacional de investigação antiterrorista conseguiram descobrir e desmantelar a organização por causa da detenção de um primeiro suspeito.

As operação ocorre poucos dias depois que o governo da Tunísia anunciou o fechamento à circulação de veículos da avenida Habib Bourguiba, principal artéria da cidade, perante o risco real de atentados com carro-bomba ou com cinturões explosivos.

A medida, em vigor desde hoje e até a próxima segunda-feira, aumentou o número das patrulhas de brigadas mistas -militares e policiais- pelo centro e reforçou a segurança nos edifícios oficiais de todo o país.

O aumento de operações e medidas de segurança ocorre na véspera do segundo aniversário da tentativa de ataque de grupos radicais em 11 de setembro de 2013 perante a embaixada dos Estados Unidos, no arredor da capital.

Aquela ação foi liderada pelo grupo jihadista “Ansar al Sharia”, o mesmo que assumiu a autoria dos dois atentados que nos últimos seis meses que tiraram a vida de 60 turistas estrangeiros na Tunísia.

Algumas células dessa organização se infiltraram na Líbia, enquanto outras combatem contra as Forças Armadas tunisianas na região de Kasserine, limítrofe com a Argélia, onde estão desde 2011. EFE