Autoridades do mundo todo lamentam a morte de Ariel Sharon

  • Por Jovem Pan/EFE
  • 11/01/2014 14h17

A morte do ex-premiê israelense Ariel Sharon durante a manhã deste sábado (11), que estava em coma desde 2006, surpreendeu e comoveu muitas autoridades pelo mundo, que se pronunciaram sobre o assunto.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou que Sharon “dedicou sua vida ao Estado de Israel”, e que, para o secretário de Estado americano, John Kerry, “arriscou tudo” pela paz. “Em nome do povo americano, Michelle e eu enviamos nossas mais profundas condolências à família do ex-primeiro-ministro israelense Ariel Sharon e ao povo de Israel pela perda de um líder que dedicou sua vida ao Estado de Israel”, disse Obama em comunicado.

Obama ainda reafirmou o “inquebrantável compromisso” dos EUA “com a segurança de Israel” e seu apreço pela “duradoura amizade” entre os dois países.

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas, Ban Ki-moon, disse por meio de seu porta-voz Martin Nesirky: “O primeiro-ministro Sharon será lembrado por sua coragem política e sua determinação de seguir adiante com a histórica e dolorosa decisão de retirar colonos e soldados israelenses da Faixa de Gaza”. Ban ressaltou também que o sucessor de Sharon “enfrenta o difícil desafio de realizar as aspirações de paz entre os povos israelense e palestino.”

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse em um telegrama enviado ao primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, que Sharon será lembrado como um defensor das relações de amizade russo-israelenses, por sua grande contribuição pessoal à consolidação da cooperação bilateral. Putin ainda elogiou as qualidades pessoais do ex-primeiro-ministro israelense, seu trabalho na defesa dos interesses de seu país, e deu ênfase ao grande respeito dos israelenses por ele.

Para a Chanceler da Alemanha, Angela Merkel, “Ariel Sharon foi um patriota israelense que conseguiu grandes conquistas para seu povo”. Já o primeiro-ministro do Reino Unido lembra que Sharon tomou “decisões corajosas e controvertidas em busca da paz”, antes de ficar “tragicamente deficiente”.

Os ex-presidentes dos Estados Unidos George W. Bush e Bill Clinton e a ex-secretária de Estado Hillary Clinton também expressaram pesar.

Bush, que esteve no poder enquanto Sharon foi primeiro-ministro, declarou-se “honrado por ter conhecido este corajoso homem e o chamar de amigo”.

“Foi um guerreiro para a posteridade e um aliado na busca de segurança para a Terra Prometida e um Oriente Médio melhor e mais próspero”, disse Bush em um comunicado.

Já Bill Clinton e sua mulher, Hillary, expressaram suas condolências em comunicado conjunto.

“Ariel Sharon deu sua vida a Israel: para conseguir que existisse, para sustentá-lo e preservá-lo, e no final de seu longo serviço, para criar um novo partido político comprometido tanto com uma paz justa como com uma segurança duradoura”, afirmou o casal Clinton.