Autoridades prendem 46 pessoas e aulas são retomadas em Michoacán, no México

  • Por Agencia EFE
  • 21/01/2014 05h06

Cidade do México, 20 jan (EFE).- O governo do México informou que as aulas foram retomadas em 321 escolas do estado de Michoacán, onde autoridades federais iniciaram na semana passada uma operação para restaurar a segurança na região de Tierra Caliente que até esta segunda-feira resultou na prisão de 46 pessoas.

Em comunicado conjunto, os Ministérios de Governo (Interior), Defesa e Marinha, assim como o Conselho Nacional de Segurança e a Procuradoria Geral informaram que, de acordo com a Secretaria de Educação de Michoacán, 48.730 alunos e 4.984 professores voltaram às aulas nesta segunda-feira.

As aulas foram retomadas em 321 centros de educação fundamental, média e superior nos municípios de Parácuaro, Múgica, Coahuayana, Apatzingán e Tancítaro, assim como na cidade da Lombardía, município de Gabriel Zamora.

“Por outro lado, as ações de vigilância das forças federais continuam de maneira ininterrupta e tiveram como resultado, até hoje, a prisão de 46 pessoas suspeitas de diversos crimes, que foram colocadas à disposição das autoridades competentes”, apontou o documento.

Em relação à mudança de policiais municipais para o Centro de Treinamento Regional da Sexta Região Militar em Tlaxcala para sua avaliação, as fontes afirmaram que nesta segunda-feira foram enviados mais 41 efetivos, todos eles do município de Peribán.

O governo mexicano anunciou no dia 18 de janeiro que concluiu, sem incidentes, a tarefa de assumir a segurança em todos os municípios da região de Tierra Caliente, em Michoacán, cenário de enfrentamentos entre o crime organizado e milícias de civis armados.

Até então, o governo tinha anunciado a mudança de quase 800 policiais para o centro de treinamento em Tlaxcala para determinar quem poderá retornar ao trabalho e quem terá que ser dispensado das corporações por vínculos com os criminosos.

O comunicado conjunto divulgado nesta segunda-feira também informou que as atividades comerciais em Tierra Caliente foram normalizadas paulatinamente. EFE

msc/rpr