Autoridades sírias denunciam massacre de 40 civis pelas mãos do EI em Aleppo

  • Por Agência EFE
  • 11/06/2016 14h38
EI assume autoria do atentado contra zona xiita ao sul de DamascoImagens do Dia

As autoridades sírias denunciaram neste sábado o massacre de 40 civis pelas mãos do grupo terrorista Estado Islâmico (EI) em um ataque na cidade de Gandura, na província setentrional síria de Aleppo.

O Ministério sírio de Relações Exteriores enviou duas cartas à Secretaria-Geral e ao Conselho de Segurança da ONU para informar sobre o massacre dos 40 civis em Gandura durante o dia de ontem, sem dar mais detalhes.

Além disso, o Ministério denunciou nas mensagens a morte de pelo menos 12 pessoas hoje em um duplo atentado na zona de Sayida Zainab, no sul de Damasco, que foi reivindicado pelo EI.

O Observatório Sírio de Direitos Humanos elevou o número de mortos a 13 civis e sete membros do Exército ou de milícias leais ao governo de Damasco.

O Ministério apontou nas cartas que as explosões, massacres e o disparo de projéteis por parte do EI, a Frente al Nusra -filial síria da Al Qaeda- e outros grupos terroristas ocorrem no marco das políticas “fascistas e criminosas do regime de Erdogan”, em referência ao presidente turco, Recep Tayyip Erdogan.

Nesse sentido, garantiu que essas organizações terroristas recebem apoio financeiro e militar da Turquia, Arábia Saudita e Catar.

Por fim, o Ministério pediu ao Conselho de Segurança da ONU que adote medidas punitivas e dissuasórias contra esses Estados.