Ban inaugura cúpula sobre clima em Lima pedindo uma nova história

  • Por Agencia EFE
  • 09/12/2014 17h10

Lima, 9 dez (EFE).- O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, inaugurou nesta terça-feira a Cúpula sobre a Mudança Climática (COP20) em Lima na qual pediu aos países a “escrever uma nova história” que se traduza no projeto que terminará de ser definido no próximo ano em Paris.

Na abertura do segmento de alto nível da conferência, Ban disse que ainda há uma oportunidade de permanecer dentro “do limite dos 2 graus” de temperatura, mas afirmou que as janelas da oportunidade estão se estreitando e é preciso atuar “agora”. De Lima sairá um projeto de minuta “equilibrado, bem estruturado e coerente” para conseguir um acordo em Paris em 2015, explicou Ban Ki-moon.

O secretário-geral da ONU ressaltou o anúncio dos compromissos de redução da emissão de gases do efeito estufa feito por Estados Unidos, China, União Europeia e Alemanha, e as contribuições ao Fundo Verdes que já alcançam quase US$ 10 bilhões. No entanto, pediu aos representantes dos 195 países reunidos na COP20 para definir a via para que o Fundo Verde consiga chegar aos US$ 100 bilhões em 2020.

Ban acrescentou que é preciso priorizar a prestação de apoio aos mais vulneráveis e aos países menos desenvolvidos. Ele pediu também às nações para impulsionarem “objetivos de desenvolvimento econômico de baixo carbono”.

Manuel Pulgar Vidal, presidente da COP20 e ministro do Ambiente do Peru, declarou que os participantes têm que tentar aumentar os resultados que o mundo espera desta cúpula.

Para a secretária executiva da convenção, Christiana Figueres, nunca houve uma oportunidade como esta, nem com tanta urgência.

“Em Lima temos que plantar as sementes de uma nova estrutura, construindo uma ponte sobre o que antes eram brechas. A história nos julgará não apenas pelas toneladas de gases que fomos capazes de reduzir, mas por construir um futuro com prosperidade para todos e são os senhores que têm que criar esse futuro”, disse ela.

O presidente da Assembleia Geral das Nações Unidas, Sam Kutesa, afirmou que esta conferência é oportuna porque não é mais possível ficar de braços cruzados.

“Sem os esforços não será possível realizar um desenvolvimento sustentável. Temos que assumir mais compromissos, tomar medidas imediatas e mudar as pautas de consumo e produção”, assim como aumentar o financiamento em tecnologias inócuas, disse o ugandês.

Segundo Kutesa, é preciso tomar “medidas arriscadas contra a mudança climática para chegar a um acordo vinculativo universal em 2015”.

A cerimônia de inauguração contou com a participação do presidente da Bolívia, Evo Morales; do presidente de Nauru, Baron Waqa; do vice-presidente da Tanzânia, Mohamed Gharib Bilal; e da chefe do Conselho de Ministros do Peru, Ana Jara, entre outras autoridades. EFE

mmr/cdr