Ban Ki-moon condena “bárbaro” assassinato de jornalista japonês

  • Por Agência EFE
  • 01/02/2015 00h48
Ban Ki-Moon visitou a Autoridade Palestina e os líderes israelenses e pediu diálogo por dois Estados coexistentes

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, condenou neste sábado (31) o “bárbaro” assassinato do jornalista japonês Kenji Goto pelo Estado Islâmico (EI), que aparentemente aparece decapitado em um vídeo divulgado por esse grupo.

Em declaração escrita distribuída por sua assessoria de imprensa, Ban “condena nos mais duros termos o bárbaro assassinato de Kenji Goto” e acrescenta que sua morte ressalta a violência da qual foram vítimas tantas pessoas no Iraque e na Síria.

“Mais uma vez, o secretário-geral faz um apelo para a libertação incondicional de todos os reféns que o EI e outros grupos mantêm”, acrescenta a nota divulgada pelo escritório do porta-voz de Ban.

Em um vídeo que está sendo verificado independentemente, um carrasco do EI assegura que a decapitação se deve à participação do Japão na coalizão internacional contra esse grupo jihadista no Iraque e na Síria.