Ban pede que países aumentem contribuição para ajuda humanitária na Somália

  • Por Agencia EFE
  • 29/10/2014 13h19

Mogadíscio, 29 out (EFE).- O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, pediu nesta quarta-feira que os líderes internacionais aumentem os financiamentos para o socorro humanitário na Somália, onde mais de 3 milhões de pessoas precisam de assistência urgente.

“Estamos aqui para dizer aos somalis que eles não estão sozinhos e que vamos redobrar nossos esforços para ajudar a proteger as conquistas alcançadas nos últimos anos”, afirmou Ban depois de se reunir com o presidente da Somália, Hassan Sheikh Mohamud, em Mogadíscio.

Essa visita faz parte da viagem oficial que o secretário da ONU realiza na África junto ao presidente do Banco Mundial, Jim Yong Kim, e outros líderes regionais.

Segundo a ONU, mais de 3 milhões de pessoas estão em situação de insegurança alimentar pela falta de comida, uma crise que se agrava pela ausência de chuvas, o conflito do país e a inflação. Além disso, Ban lamentou que em 2014 só 34% do pedido de ajuda humanitária do país foi atendido.

O secretário-geral também mostrou seu apoio à transição na Somália, um país devastado por um conflito interno – que se prolonga há duas décadas -, o terrorismo e a fome.

“A transição na Somália é uma oportunidade única para melhorar a vida de seus cidadãos, introduzindo-os em atividades econômicas produtivas”, assegurou.

Kim afirmou que a “estabilidade política e a segurança humana são importantes requisitos prévios para a redução da pobreza extrema e o aumento da prosperidade para o povo somali”.

Assim, tanto as Nações Unidas como o Banco Mundial, em cooperação com outros parceiros, se comprometeram a acelerar seus programas no país para apoiar os objetivos políticos, de segurança e de desenvolvimento da Somália. EFE