Berlim confirma que EI atacou com armas químicas os peshmergas no Iraque

  • Por Agencia EFE
  • 13/08/2015 08h57

Berlim, 13 ago (EFE).- O Estado Islâmico (EI) atacou com armas químicas os peshmergas, soldados curdos que combatem os jihadistas no norte do Iraque, confirmou nesta quinta-feira o Ministério da Defesa da Alemanha.

O Ministério não forneceu detalhes sobre o incidente, além de ressaltar que nenhum soldado alemão destacado na região foi afetado, ao ser forçado a reagir após o vazamento de um relatório secreto do Exército alemão no jornal “Bild”.

Segundo o periódico, o documento indica que o ataque aconteceu ontem em Machmur, e que o composto químico usado poderia ser gás cloro ou dicloro, que em condições normais de pressão e temperatura é um gás entre amarelo e esverdeado de cheiro desagradável e muito tóxico por inalação.

O ataque do EI com estas granadas deixou 60 peshmergas feridos, aponta o documento, que foi enviado à ministra da Defesa alemã, Ursula von der Leyen.

O Exército alemão teve acesso a esta informação porque uma equipe de 88 de seus soldados está em Erbil, a capital curda, a cerca de 60 quilômetros de Machmur, formando os peshmergas para que possam enfrentar os islamitas do EI.

Está previsto que especialistas americanos com base em Bagdá se desloquem para o local para analisar a região e tentar confirmar o tipo de ataque. EFE