Bolsas europeias fecham em alta com expectativa por estímulo fiscal nos EUA

Avanço da Covid-19 na Europa e perdas no preço do barril de petróleo pressionam índices

  • Por Jovem Pan
  • 12/10/2020 14h45
EFE/Vega AlonsoInvestidores monitoram as negociações por uma nova rodada de estímulos fiscais nos EUA

Nesta segunda-feira, 12, as bolsas da Europa fecharam na maioria em alta devido a expectativas pela nova aprovação de estímulos fiscais nos Estados Unidos. Por outro lado, as perdas no preço do barril do petróleo levaram ações do setor a pressionarem negativamente os índices. Além disso, continuou em foco o avanço da Covid-19 no continente. O índice pan-europeu Stoxx 600 fechou em alta de 0,72%, a 373,00 pontos. Os investidores monitoram as negociações por uma nova rodada de estímulos fiscais nos EUA. A Casa Branca ofereceu uma proposta de pacote no valor de US$ 1,8 trilhão, mas lideranças democratas sinalizaram que pretendem recusar. A oposição tem defendido uma legislação de, no mínimo, US$ 2 trilhões.

O mercado esteve otimista quanto ao discurso da presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, mas houve poucos indícios de política monetária por parte da dirigente. As expectativas sobre os negócios europeus são limitadas pelo avanço de casos de Covid-19 no continente. Mesmo descartando um lockdown completo, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, anunciou novas medidas de restrição ao Parlamento nesta segunda-feira, 12.

Com notícias sobre o aumento da oferta em várias partes do mundo, o petróleo operava nesta tarde com baixas superiores a 2% no preço do barril em Londres e Nova York. Total (0,90%), Repsol (-1,71%), Galp (-1,71%), Eni (-0,63%) e Saipem (3,08%) pressionaram índices e limitaram ganhos em algumas das principais bolsas. Em Londres, BP (-1,96) e Royal Dutch Shell (-2,55), ajudaram o FTSE a fechar em baixa de 0,25%, a 6.001,38 pontos, sendo o único dos principais índices a registrar perdas. Em Frankfurt, a Volkswagen com ganhos de 1,26% ajudou o DAX a fechar em alta de 0,67% a 13.138,41 pontos. O CAC em Paris subiu 0,67%, a 4.979,29 pontos, com a Peugeot avançando 1,29%. Em um dia positivo para companhias de energia, a EDF também ajudou o CAC, ao subir 0,98%. Em Milão, a Enel teve alta de 2,17% e ajudou o FTSE MIB a fechar em alta de 0,63%, a 19.718,77. O setor foi fundamental para impulsionar o PSI 20 na maior alta do dia entre as principais bolsas europeias, de 1,56%, a 4247,14 pontos. EDP (+2,93%) e EDP Renováveis (+7,53%) tiveram algumas das principais altas, e compensaram quedas importantes, além da Galp, também do BCP Millenium, em queda de 1,95%. Já em Madri, o IBEX 35 fechou estável, a 6951,00 pontos.

*Com informações da Agência Estado