Bombardeio mata 22 membros do EI no nordeste da Síria

  • Por Agencia EFE
  • 15/07/2015 13h46

Beirute, 15 jul (EFE).- Pelo menos 22 membros do grupo jihadista Estado Islâmico (EI) morreram nesta quarta-feira em um bombardeio, que cogita-se ter sido realizado pela aviação do regime de Bashar al Assad, no nordeste da Síria, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

A ONG explicou que o alvo do ataque foi um comboio do EI que passava por uma região entre o norte da província de Deir ez Zor e o sul de Al Hasaka.

A maioria dos mortos são combatentes do EI de nacionalidade síria e naturais de Deir ez Zor, por isso os corpos de muitos foram transferidos ao oeste da província para serem enterrados, detalhou o Observatório, que citou ativistas da região. O restante dos mortos são milicianos do EI procedentes de países do norte da África.

Os veículos de informação oficiais sírios ainda não confirmaram essas informações.

Na segunda-feira passada, dois importantes dirigentes da organização radical, identificados como Abu Osama al Iraqui e Amre al Rafidan, morreram em um bombardeio, aparentemente realizado pela coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos em Al Hasaka.

Al Iraqui era o dirigente do EI da chamada “província de Al Baraka”, que ocupa parte de Al Hasaka, já que os jihadistas impuseram suas próprias divisões administrativas nas regiões que dominam no Iraque e na Síria. Al Rafidan era o ex-líder do EI na “província de Al Jair”, que abrange áreas de Deir ez Zor.

Os extremistas proclamaram há um ano um califado na Síria e no Iraque, onde conquistaram amplas partes do território. EFE