Brasil e Suécia chegam a acordo sobre juros na compra de caças

  • Por Jovem Pan
  • 29/07/2015 17h13
BRASÍLIA, DF, 08.06.2015: SEGURANÇA-DF - Maquete em tamanho natural do caça Saab Gripen NG na Esplanada dos Ministérios, nesta segunda-feira (8), em Brasília. A réplica do caça Sueco que foi comprado pelo governo brasileiro ficará exposta ao público no gramado da Esplanada de quarta à domingo, até o dia 14. O Brasil comprou 36 caças num valor total de US$ 5,4 bilhões (R$ 13,9 bilhões) e a previsão de entrega é a partir de 2019. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)Réplica de caça sueco Gripen NG na Esplanada dos Ministérios

Os Governos do Brasil e da Suécia conseguiram chegar em um acordo sobre a taxa de juros do financiamento da compra de 36 caças Gripen NG para a Força Aérea Brasileira.

Segundo o Ministério da Defesa, com o fim das negociações entre os países, o contrato segue agora os trâmites legais para a provação final no Senado. “Conseguimos acordar a taxa da data de assinatura do contrato. Um ganho para os dois países na consolidação dessa parceria estratégica”, afirmou Jaques Wagner.

Os suecos aceitaram cobrar juros anuais de 2,19% no financiamento oferecido pela SEK – agência de promoção de exportações da Suécia. O negócio, acertado em 2014, tinha o valor de US$ 5,4 bilhões, ma so valor teve uma queda pois a moeda utilizada, corora sueca, perdeu valor.

A Suécia queria cobrar 2,54% de juros, valor da taxa em outubro de 2014. No entanto, será cobrada a taxa de 2,19%. Dentro do contrato, a diferença é ínfima, cerca de US$ 180 milhões, mas a equipe econômica brasileira insiste que este foi o melhor negócio em tempos de crise.

O acordo teve a aprovação da presidente Dilma Rousseff e do ministro da Fazenda, Joaquim Levy.

Sobre o Gripen NG

O Brasil escolheu o caça para reequipar a Força Aérea Brasileira (FAB) no fim de 2013 e, em 2014, assinou o contrato comercial. A Força Aérea Brasileira receberá 36 aviões de caça Gripen NG da empresa sueca Saab. A primeira aeronave deverá ser entregue em 2019 e, a última, em 2024.

O contrato envolve o treinamento de pilotos e mecânicos brasileiros na Suécia, apoio logístico e a transferência de tecnologia para indústrias brasileiras, diz o Ministério da Defesa em nota.