1 em cada 3 brasileiros não tem conta bancária, aponta pesquisa

  • Por Jovem Pan
  • 18/08/2019 12h54
Marcelo Camargo/ Agência Brasil86% dos desbancarizados pertencem às classes econômicas C, D e E

No Brasil, 45 milhões de pessoas estão desbancarizadas, ou seja: não movimentam suas contas há mais de seis meses ou não possuem conta em banco. Os dados são de uma pesquisa realizada pelo Instituto Locomotiva  e divulgada neste domingo (18), que também apontou que um em cada três brasileiros não tem conta em nenhuma instituição financeira.

De acordo com a sondagem, esse grupo que não utiliza os bancos para armazenar seu dinheiro movimenta, anualmente no país, mais de R$ 800 bilhões.

Na avaliação do presidente do Instituto Locomotiva, Renato Meirelles, a conclusão evidente do levantamento é que o Brasil sairia mais rápido da crise econômica se a bancarização crescesse. “É muito ruim para a economia brasileira. Ficou definido na pesquisa que os bancos que operam no país ainda não falam com uma parcela significativa da população e que muitas dessas pessoas que não têm conta em banco são empreendedores, entre os quais ambulantes e trabalhadores autônomos, que precisariam estar mais inseridos na economia formal”, explica.

Segundo ele, como essas pessoas não têm acesso ao crédito, precisam esperar até três anos para juntar dinheiro suficiente para comprar uma geladeira, um aparelho celular ou trocar de televisão, por exemplo. Se tivessem acesso ao crédito, poderiam parcelar essas compras de modo a ter hoje esse bem.

Para Meirelles, é exatamente esse tipo de comportamento, da população com os bancos, que faz a economia girar.

Mulheres

A pesquisa mostra, ainda, que os desbancarizados representam 29% da população adulta do Brasil, sendo seis em cada dez deles (60%) mulheres. Sete em cada dez, ou 69% do total consultado, são negros ou pardos, contra 29% de brancos e 2% de amarelos e indígenas.

“São, em grande parte, da população mais pobre, mais mulheres, com uma parcela maior de negros também”, disse Meirelles. Segundo analisou, os bancos tal como atuam hoje não respondem à demanda da maioria dessas pessoas, para as quais o dinheiro vivo, em espécie, é mais importante.

Classes econômicas
86% dos desbancarizados estão concentrados nas classes econômicas C, D e E, que é a parcela da população menos conectada e com maior informalidade de trabalho. Desses, 49% estão na classe média (C). Dos 45 milhões de desbancarizados, 58% têm apenas o ensino fundamental ou não têm instrução; 31% disseram ter recebido algum empréstimo e 45% informaram ter recorrido a familiares e 25% a amigos. Somente 24% recorreram a bancos ou financeiras para obter um financiamento ou empréstimo.

*Com informações da Agência Brasil