‘Acabou com a nossa cidade’, diz prefeito de Brumadinho

  • Por Jovem Pan
  • 27/01/2019 15h39 - Atualizado em 27/01/2019 15h40
Cadu Rolim - Estadão Conteúdo Prefeito diz que exigira da Vale o pagamento aos funcionários de todos os turnos e pagamentos dos impostos de mineração

Em entrevista coletiva neste domingo (27), o prefeito de Brumadinho, Avimar de Melo Barcelos, disse que o rompimento da barragem “acabou com a cidade”. Ele definiu a atuação da empresa na cidade como inconsequente. Barcelos contou, ainda, que a prefeitura aplicará multa de R$ 100 milhões a Vale.

Ele também pede que os valores das multas aplicadas a Vale sejam redirecionados para o município. Preocupado, o prefeito diz que a cidade pode parar caso a mineradora não pague o CFEM, impostos oriundos da mineração. “Somos uma cidade que vive do minério, dependemos de 65% ou mais do CFEM do minério. Isso aí vai destruir a cidade com a arrecadação. Não poderemos dar apoio a saúde e educação”.

De acordo com ele, a única responsabilidade da prefeitura no trato com a Vale era a realização de fiscalizações a cada seis meses. “Os alvarás de funcionamento dos prédios são do município. Quando autorizamos um alvará buscamos ver se a mineração foi liberada pelo estado”, aponta.

Antes de encerrar a coletiva, Barcelos garantiu que vai exigir da Vale o pagamento de salários aos funcionários dos três turnos. “A atividade da Vale já foi interrompida. Ela tem mil funcionários, essas pessoas têm famílias na cidade. A Vale assumiu a responsabilidade de tirar as pessoas das casas e arcar com isso. Vamos exigir que todos os funcionários sejam pagos, dos três turnos. Nosso CFEM precisará ser pago. A cidade não pode parar”, concluiu.