Acordo entre Guarulhos e Sabesp tira 700 mil pessoas do rodízio de água

  • Por Nicole Fusco
  • 29/01/2019 14h09 - Atualizado em 30/01/2019 09h22
PixabeyAté o final do ano, a prefeitura e a Sabesp pretendem abastecer todos os 1,4 milhão de habitantes da cidade 24 horas por dia

No último mês, 700 mil pessoas pararam de sofrer com o rodízio de água em Guarulhos, região metropolitana de São Paulo. Todos  os 1,4 milhão de habitantes da cidade enfrentam esse problema diariamente.

O abastecimento regular foi possível depois que a autarquia municipal Saae (Serviço Autônomo de Água e Esgoto) concedeu os serviços à Sabesp (Companhia Estadual de Saneamento Ambiental). O objetivo da prefeitura, agora, é que até o aniversário da cidade, em 8 de dezembro, 100% do município tenha água nas torneiras 24 horas por dia.

O contrato firmado entre a prefeitura e a Sabesp prevê a concessão dos serviços por 40 anos. Em troca, a companhia vai investir R$ 2 bilhões ao longo desse período para o abastecimento de água e R$ 1,3 bilhão para coleta e tratamento de esgoto.

O presidente da Sabesp, Benedito Braga, comemorou os resultados obtidos no primeiro mês de contrato. “O resultado é muito satisfatório, além da expectativa para os primeiros cem dias”, disse ele nesta terça-feira (29). “Até o final do ano vamos tirar todos os munícipes de Guarulhos dessa situação [de rodízio de água]”, garantiu.

“Talvez as grandes cidades não sofram com isso porque no seu passado tiveram os investimentos necessários”, disse o prefeito de Guarulhos, Gustavo Henric Costa. “Pode soar até estranho a segunda maior cidade do estado comemorar algo nesse sentido, mas, para nós, que sofremos com isso há décadas, é extraordinário comemorar”, continuou.

De acordo com Costa, quando ele assumiu a prefeitura, em janeiro de 2017, tinha como objetivo fortalecer o Saae “para resolver os problemas de forma caseira”. A gestão municipal, no entanto, se deparou com uma dívida de R$ 3,2 bilhões — resultado de 20 anos nos quais a Saae comprou água da Sabesp sem honrar com os custos. “A gente viu que era impossível sanar os problemas financeiros e fazer os investimentos necessários para abastecer 100% da cidade”, afirmou o prefeito.

Com o acordo, o pagamento da dívida ficará suspenso e o valor será abatido de forma proporcional  até o final do prazo do contrato de prestação dos serviços.

Segundo o secretário municipal de Desenvolvimento Científico, Econômico, Tecnológico e de Inovação de Guarulhos, Rodrigo Barros, os benefícios trazidos pela parceria com a Sabesp vão além do abastecimento de água. “Trouxe para a gente um interesse muito maior no mercado. Depois que o prefeito assinou com a Sabesp, começamos a receber investidores internacionais, investidores interessados em fazer novos negócios com a cidade.”