Advogados querem mais prazo para esclarecer mensagens de Marcelo Odebrecht

  • Por Agência Brasil
  • 22/07/2015 17h51
CURITIBA,PR,20.06.2015:OPERAÇÃO LAVA JATO - Marcelo Odebrecht da construtora Odebrecht é encaminhado para o IML de Curitiba (PR), na manhã deste sábado (20). Marcelo foi detido durante ação da 14ª fase da Operação Lava Jato batizada de Erga Omnes (do latim, Contra Todos) e está sendo cumprida em quatros estados pelo país. . (Foto: Cassiano Rosário/Futura Press/Folhapress)Presidente da Odebrecht

Os advogados do presidente da Odebrecht, Marcelo Bahia Odebrecht, pediram hoje ao juiz federal Sérgio Moro novo prazo para explicar o sentido das mensagens cifradas do executivo interceptadas pela Polícia Federal.

O prazo para a entrega da manifestação termina amanhã (23), mas os defensores informaram que não poderão cumpri-lo, porque não se encontraram com Marcelo, preso na Polícia Federal em Curitiba. A visita deve ocorrer nesta quinta-feira, dia autorizado pelos delegados.

“O prazo assinalado, a toda evidência, não pode ser cumprido, na medida em que os esclarecimentos a serem prestados versam sobre anotações que estariam armazenadas em telefone do peticionário, e das quais a defesa jamais teve conhecimento – razão pela qual, por óbvio, delas não pode tratar sem no mínimo antes conversar com Marcelo”, explicou a defesa.

No despacho, Moro pediu aos advogados para explicarem o conteúdo das anotações, antes de ele extrair possíveis “consequências jurídicas” da interpretação dos escritos. Segundo os delegados da Polícia Federal, Marcelo tentou atrapalhar as investigações.

Durante as investigações, a polícia interceptou as seguintes notas no celular do presidente: “MF/RA: não movimentar nada e reembolsaremos tudo e asseguraremos a família. Vamos segurar até o fim. Higienizar apetrechos MF e RA. Vazar doação campanha. Nova nota minha mídia? GA, FP, AM, MT, Lula? E Cunha?”.