Agente penitenciário se confunde e atira oito vezes contra carro de família

  • Por Jovem Pan
  • 09/07/2019 18h40
Reprodução / Google Maps No banco de trás, uma mulher só não foi atingida porque havia se abaixado - um disparo furou o estofado exatamente onde ela estava, segundos antes

Um agente penitenciário atirou contra um carro com três pessoas da mesma família em Realengo, bairro do Rio de Janeiro, na noite do último domingo (7). Cristóvão da Silva Nunes confundiu veículo com o seu próprio, e disparou por pelo menos oito vezes.

Só o motorista foi atingido, de raspão, e passa bem. Nunes foi preso em flagrante. Durante a audiência de custódia, a Justiça permitiu que ele responda ao processo em liberdade. O agente penitenciário vai ser acusado de tentativa de homicídio.

Luiz Sérgio Gomes de Oliveira Júnior dirigia seu carro pela Rua Piraquara quando os tiros começaram. No banco de trás, uma mulher só não foi atingida porque havia se abaixado – um tiro furou o estofado exatamente onde ela estava, segundos antes.

A maioria dos tiros foi na direção do motorista, atingido de raspão em um dos braços. Ele foi encaminhado ao Hospital Albert Schweitzer, também em Realengo, e já recebeu alta.

O agente penitenciário foi preso por policiais militares do 14º Batalhão (Bangu) e conduzido à 35ª DP (Campo Grande), responsável por investigar o caso. Embora já esteja em liberdade, Nunes foi afastado de suas funções pela secretaria estadual de Administração Penitenciária (Seap).

A Corregedoria da pasta instaurou um processo administrativo disciplinar para apurar a conduta do funcionário, que “foi afastado do serviço operacional e irá atuar em um setor administrativo até a conclusão das investigações”, segundo nota da Seap.

Estadão Conteúdo