AGU pede ao STF para entregar apenas trechos do vídeo de reunião de Moro com Bolsonaro

  • Por Jovem Pan
  • 07/05/2020 17h05 - Atualizado em 08/05/2020 07h33
Alan Santos/PRPresidente da República, Jair Bolsonaro, e o Advogado-Geral da União, José Levi Mello do Amaral Júnior

A Advocacia-Geral da União (AGU) pediu permissão ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Celso de Mello, nesta quinta-feira (7), para entregar à Corte somente trechos da gravação da reunião realizada no Palácio do Planalto, no dia 22 de abril.

A reunião em questão foi citada no depoimento do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sergio Moro em inquérito que investiga suposta interferência do presidente da República na Polícia Federal. Nela, segundo o depoimento, Bolsonaro teria ameaçado Moro.

No pedido, a AGU pede ao relator que reconsidere “a ordem de entrega de cópia de eventuais registros audiovisuais de reunião presidencial ocorrida no dia 22 de abril de 2020, para que se restrinja apenas e tão-somente a eventuais elementos que sejam objeto do presente inquérito”.

Já a defesa do ex-ministro acionou a Corte para que o decano mantenha a ordem de entrega total das informações.

Este é o segundo pedido feito pela AGU ao STF. Na noite de quarta (6), havia pedido para que a Corte “reconsiderasse” a decisão que determinou que a gravação fosse entregue.

“A União vem, respeitosamente, nos autos do inquérito em epígrafe, diante do teor da decisão proferida por Vossa Excelência, rogar seja avaliada a possibilidade de reconsiderar a entrega de cópia de eventuais registros audiovisuais de reunião presidencial ocorrida no dia 22 de abril de 2020, pois nela foram tratados assuntos potencialmente sensíveis e reservados de Estado, inclusive de Relações Exteriores, entre outros”, escreveu na petição o advogado-geral da União, José Levi do Amaral.