Alexandre Camanho defende procedimento adotado por Janot em lista: “estratégia correta”

  • Por Jovem Pan/Thiago Uberreich
  • 08/03/2015 14h05

Alexandre Camanho explicou os procedimentos adotados por Janot

Alexandre Camanho

Alexandre Camanho, o presidente da Associação Nacional dos Procuradores da República, defendeu a postura adotada por Rodrigo Janot, que divulgou lista ao STF de políticos suspeitos de participar no desvio de dinheiro da Petrobras.

Em entrevista à Jovem Pan, Camanho explicou que o procedimento adotado por Janot foi correto. “Nenhuma investigação seria pedida pela procuradoria somente se fundando na delação premiada. O que a procuradoria fez foi, em cada circunstância, procurar uma prova mais substancial que a delação. E somente aí o início das investigações foi pedido”, disse.

Analistas ainda avaliaram que o procurador foi muito cauteloso durante o processo, quando comparado ao Mensalão. Para Alexandre, não foi o caso: “deve ter parecido mais prudente fazer investigações individualizadas. É uma estratégia dele que me parece absolutamente correta”.

Sobre o encontro de Rodrigo Janot e o ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, Camanho acredita que a lista não entrou no debate: “existe uma série de outros assuntos temas que podem e devem ser conversados num clima de absoluta normalidade institucional”.

“O procurador geral da república guardou a mais absoluta reserva em relação às pessoas investigadas, não só porque achava que o sigilo era mais eficaz para a investigação, como também para que não houvesse alguma desnecessária exposição da dignidade alheia”, concluiu.