Após acusação de desvios, secretário pede força-tarefa para agilizar destruição de drogas

  • Por Tiago Muniz/Jovem Pan
  • 03/07/2017 11h21 - Atualizado em 03/07/2017 11h33
São Paulo- SP- Brasil- 16/05/2016- O governador Geraldo Alckmin anunciou nesta segunda-feira (16) a escolha do procurador de Justiça Mágino Alves Barbosa Filho para ser o novo secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo. Ele substituirá Alexandre de Moraes, que assumiu o ministério de Justiça e Cidadania. "O Dr. Mágino tem grande experiência na área criminal. Ele dará continuidade ao trabalho desenvolvido pelo dr. Alexandre em benefício do nosso Estado", declarou o governador. Foto: GESP"O policial que se desvia da sua conduta é mais bandido do que o bandido que ele deve combater", diz Mágino Alves

O secretário estadual da segurança pública de São Paulo quer uma força-tarefa para agilizar a destruição de drogas apreendidas pela polícia. Mágino Alves Barbosa Filho deu a declaração em entrevista à Jovem Pan nesta segunda-feira (3).

No domingo (2), a TV Globo divulgou que policiais civis estariam desviando drogas do cofre do Departamento de Narcóticos (Denarc) e cometendo outros crimes.

O secretário Mágino Alves Barbosa Filho pede a integração de polícia, Ministério Público e Poder Judiciário para acelerar a destruição de entorpecentes como forma de evitar esses desvios de conduta.

“Eu não consigo entender por que demora tanto a liberação de drogas para destruição. Seria muito bom se criasse uma força-tarefa: Polícia, MP e Poder Judiciário, visando à eliminação dessa droga. Você deixa a droga submetida a exame policial, você já tem ela laudada e você deixa ela guardada até o fim do proceso. Isso é um risco”, diz.

A TV Globo mostrou ainda que policiais civis recebiam propina e estavam informando criminosos sobre operações contra o tráfico.  O secretário Mágino Alves Barbosa Filho garante que os crimes mostrados pela reportagem redundaram em punição para os envolvidos.

“O policial que se desvia da sua conduta é mais bandido do que o bandido que ele deve combater. Dos vários casos que são citados na matéria do ‘Fantástico’, 21 foram citados. Desses, 16 foram presos ou demitidos. Isso demonstra que o Estado não vai deixar passar em branco qualquer conduta delituosa praticada por qualquer um dos seus agentes”, afirma.

Mágino Alves Barbosa Filho afirmou ainda que não tem qualquer suspeita sobre a diretoria do Denarc, a cargo do delegado Ruy Ferraz Fontes. O principal articulador do esquema de desvio de drogas é o investigador Bruno Luiz Soares Figueiredo, que está preso desde o ano passado.