Após anulação de julgamento, Bendine é condenado por corrupção

No ano passado, processo do ex-presidente da Petrobras foi invalidado, com base no entendimento da prisão após segunda instância

  • Por Jovem Pan
  • 11/05/2020 21h21 - Atualizado em 12/05/2020 07h36
FÁBIO MOTTA/ESTADÃO CONTEÚDOBendine foi condenado a seis anos e oito meses de prisão em um dos processos da Operação Lava Jato

O juiz Luiz Antônio Bonat, da 13ª Vara Federal em Curitiba, condenou nesta segunda-feira (11) o ex-presidente da Petrobras e do Banco do Brasil Aldemir Bendine a seis anos e oito meses de prisão em um dos processos da Operação Lava Jato. Bendine havia sido condenado no mesmo caso, mas a sentença foi anulada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Ele responde às acusações em liberdade.

Em agosto do ano passado, a Segunda Turma do Supremo aceitou recurso da defesa e entendeu que Bendine tinha direito de apresentar alegações finais e ser interrogado após os delatores da Odebrecht, com base no entendimento da prisão após segunda instância. Com a decisão, o processo voltou para a primeira instância da Justiça Federal em Curitiba para um novo interrogatório e uma nova sentença.

Na época, a anulação do julgamento de Bendine gerou polêmica e abriu brecha para que outros condenados também pedissem o mesmo. A defesa de Aldemir Bendine afirmou que vai recorrer da nova decisão.

De acordo com as investigações, a Odebrecht teria pago R$ 3 milhões em propina para obter benefícios em uma operação de crédito para uma das empresas do grupo, em 2015.

* Com informações da Agência Brasil