Após denúncia de farsa na CPI da Petrobras, oposição já cobra investigação e quer punição

  • Por Jovem Pan
  • 03/08/2014 13h15
Graça Foster

A fraude nos depoimentos prestados à CPI da Petrobras no Senado já está gerando reações na oposição. O PSDB, PPS e o DEM já estudam acionar o Conselho de Ética contra parlamentares da base governista que protagonizaram a farsa. O deputado e líder do PPS na Câmara, Rubens Bueno, é integrante da CPI mista e afirmou que nesta segunda-feira irá pedir uma investigação dura sobre a denúncia cobrando punições.

“Amanhã mesmo (segunda) nós vamos dar entrada, junto ao presidente da CPI mista, pra que ele mande investigar funcionários, advogados, parlamentares, se parlamentares participaram, que sejam afastados da CPI. E se tivermos também outras situações, nós temos que avançar. E aqueles que depuseram naquela situação, que eles voltem a depor e que isso seja, efetivamente, um momento novo na vida do parlamento brasileiro”, disse o líder do PPS na Câmara.

Outro que também comentou a denúncia foi o senador Cristovam Buarque (PDT), que reforçou a gravidade da situação e disse se preocupar com a credibilidade do Congresso.

“Minha primeira preocupação é com a credibilidade do Congresso, do qual eu faço parte. Eu achava que a gente já tinha chegado ao fim do poço, com perda de credibilidade. Mas parece que não é um poço, é um buraco negro, em que tudo sempre continua entrando e afundando. A segunda preocupação é com a própria Petrobras, porque isso gera mais uma desmoralização na empresa”, contou o senador, que também afirmou ser “muito grave mentir para a opinião pública.”

A matéria da revista Veja dessa semana divulga também um vídeo provando que a presidente da empresa, Graça Foster, o ex-presidente, Sergio Gabrielli, entre outros envolvidos no caso, já teriam tido acesso às perguntas que foram feitas na CPI antes do início da mesma, transformando a sessão do Senado em um verdadeiro “teatro”.

Durante a conversa que revela a farsa, foram citados: Graça Foster (presidente da Petrobras), Marcos Rogério (assessor de liderença do governo no Senado), Carlos Hetzel (assessor da liderança do PT), Paulo Argenta (assessor especial da Secretaria de Relações Institucionais da Presidência), Delcídio Amaral (senador) e Sergio Gabrielli (ex-presidente da Petrobras).

No áudio acima é possível ouvir parte do áudio divulgado pela Veja e também os comentários da equipe de jornalismo da Jovem Pan sobre o assunto.